O quadro



Pedi uma cor ao tempo,
de azul me vestiu,
calçou-me da velocidade do vento,
deu-me um lápis mágico... e partiu.
Retifiquei o passado
e anulei o presente,
pintei o futuro,
de verde florescente...
Voei ao quadro da morte,
tornei-o incolor,
deselhei-lhe um sorriso,
arranquei de mim a dor!
Pintei uma mulher grávida,
que uma criança à luz deu.
A criança eras tu
e a mulher... era eu!...
Pintei um novo quadro,
e o amor desenhei.
Contigo, já ao meu lado,
viver eu desejei...
Pintámos o preto de branco,
pintámos o branco de esperança,
pintámos o Mundo inteiro,
com o teu sorriso de criança!   

Fernanda R-Mesquita 

 Ao Marcos
     

Comentários