Ai felicidade!

Foto tirada a um dos tantos desenhos de Álvaro Cunhal, expostos na Fortaleza de Peniche, Portugal- Agosto 2017

Ai a felicidade!
Em árduas procuras,
são cúmplices de interesses
são inquietas almas,
que em obscuras vitórias
e em escusadas aventuras
matam horas calmas
com tristes histórias
Destroem por prazer
e vitimam-se sem saber!
Que efeitos desastrosos;
o desânimo e o descontentamento!
Mas sem amor e caridade
(que tormento)
eles continuam como antes
praticando atos horrorosos
procurando, procurando..
pela felicidade!
(que loucos instantes)
Depois, clamam perguntando com dor,
mas sem amor:
– Que foi que fizemos? –
Porque perdemos?
Ai a felicidade!
O Homem diz que não existe
mas teimoso persiste
no caminho que o leva ao insucesso...
e a impossibilidade de ser feliz,
é o processo, é a deslealdade
que ele dedica a essa desejada ventura...
lamentando a desventura:
– Não existe felicidade!

Fernanda R-Mesquita




Comentários