Aquela pequenina princesinha


Lembras-te daquela pequenina princesinha
que enquanto dançava sempre sorria
e em tantos desenhos, desenhava uma casinha
com uma janela, onde o sol brilhava todo o dia?

E das flores verdes do teu vestido branquinho?
Tão graciosas como os teus caracóis a florescer,
no teu rosto rindo e caindo de mansinho,
deslumbrantes anéis nos teus ombros querendo viver!

E as branquinhas sandálias que eu te comprei?
Iguais ao teu vestido branquinho que nunca esqueci,
seguravam-te os passinhos, que tantas vezes equilibrei
em ternos abraços, que hoje perguntam por ti.

E o pijaminha onde vivia aquele bonequinho?
Dele eu inventava histórias e igual a ele tu querias ser.
Ele ria contigo, brincavam alegres e juntinhos
e eu dizia-te que ele vinha de longe para te ver.

Depois de tão cansados de brincar,
estreitavam um abraço para dormir
e eu apagava a luz depois de te aconchegar
deixando no teu lençol uma lágrima a sorrir

Não te esqueças daquela pequenina princesinha,
não a deixes sem sorrir, viver sem magia,
não percas o desenho daquela casinha
com uma janela, onde o sol brilhava todo o dia!

Fernanda R-Mesquita






Comentários