terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Movimento

   
        Porque estou calma agora e andei tão nervosa ontem? Queria ver-te e não te vi. Foi apenas um desejo que não aconteceu. Poderia alimentar essa tristeza e entrar no campo onde governaria o dramatismo, que me levaria a ter pena de mim. Não. Eu disse não. Não quis permanecer na minha consciência física, naquele momento inclinada a despertar sentimentos negativos, que tento manter fechados num armário de difícil acesso. Os sentimentos negativos são como cogumelos venenosos, que crescem tão parecidos com as emoções harmoniosas. É demasiado limitado o campo físico. E ilusório. Permanecer na desilusão, seria permanecer no caos. No mundo caótico, existe a a tendência de culpar alguém. Eu não culpo ninguém. Eu entendo que os outros, aparentemente culpados, também possam estar envolvidos em situações e emoções, que os levam para um mundo diferente do meu. Como posso exigir que os outros vivam o meu mundo, os meus sentimentos? Nem sempre quem desejamos encontrar, está na mesma linha de pensamento. 
      A vida foi-me oferecida, e eu aceitei-a. Tenho a responsabilidade de a viver. Não apenas por dever, mas porque a amo. Sou eternamente apaixonada pela vida. Ontem, foi ontem. Foi há um minuto, um segundo, um ano? Não sei. Foi apenas ontem. Não importa. Apenas existe um pequena lembrança. Lembrança que me leva a escrever. Escrever para um dia recordar como é possível mudarmos de campo energético. Basta movimentarmos os nossos pensamentos e encontraremos o equilíbrio. É no movimento que encontramos o equilíbrio. Quando aprenderes a andar de bicicleta verás que, enquanto pedalares, poderás dirigir-te para a direção que escolheres. Se teimares, em permanecer, por muito tempo, quieta em cima dela, cairás. 
      Poderás perguntar: ´´ se esqueceste a dor por não me teres visto, não me amavas tanto assim ``. Eu respondo-te; o melhor caminho para transmitirmos força a quem amamos, é sermos fortes. Se eu permanecesse na tristeza, que luz te transmitiria eu? Minha querida, nunca te faças vítima da tristeza. Se o fizeres sofrerás de tristeza, e ela, a tristeza, entenderá que tu a queres ao teu lado. Diz-lhe, a sorrir, que no teu mundo não há lugar para ela. Neste momento, estou a sorrir. Imagino-te dormindo no teu mundo mágico, onde ainda não reconheces o Natal, porque no teu mundo todos os dias são Natal. 
     Vou dormir. Vou entrar no meu jardim secreto, onde as estrelas descem e brincam nos canteiros. Entre elas, estás tu. 

... com muito amor

Natal de 2017

      Bastaria um minuto de boa vontade para que este texto não tivesse sido escrito. Se eu te tivesse olhado apenas por um minuto, ainda que a dormir, o meu sorriso, neste momento seria a dobrar... ainda assim ... sorrio...

Fernanda R-Mesquita

Sem comentários:

Enviar um comentário