segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Nunca apenas por prazer

Existe entre o meu corpo e a minha alma
uma conexão profunda
que me leva a protegê-lo.
Ondas de luz constantes
que unem dois elementos diferentes;
se torturo o corpo
a alma chora.
Por isso amor, faz comigo amor.
Não tentes, nunca, usar o meu corpo
apenas por prazer.
Cada entrada em mim, sem ser por afeição a mim,
é um arrancar brusco de raízes, e a alma chora.
Sim, porque o meu corpo são pétalas de rosas
alimentadas por um jardim invisível
que se recusa a lançá-las a um campo de urtigas.
Deixa a ave que há em mim cantar como se fosse sempre primavera;
não sejas o insensível caçador.
Não me tentes à traição, será inútil.
Traição é hábito feio entre muitos seres humanos,
nunca entre o meu corpo e a minha essência.
Não desfolhes as rosas apenas por prazer.
Envolve-as em carinho, sê o abraço em torno da minha pura nudez
reconhecendo a força da alma, através da delicadeza dos seus traços.

Fernanda R-Mesquita






















Sem comentários:

Enviar um comentário