segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Poderes invisíveis

Edmonton- Agosto 2012

Estende-se pela terra em completo esplendor,
poderes que ninguém consegue abalar,
leis que germinam da mão do amor,
que me cantam ao adormecer e ao acordar.

Se passeio pela terra molhada
por uma chuva que caiu do céu,
sinto na erva fresca e orvalhada
um presente que a vida me deu.

O manto invisível que me parece cinzento,
 o ganso feliz que nada no lago pachorrento
me falam de força, coragem, amor e poder,

empurrando o meu passo à esperança,
ao nó que se formou quando eu era criança,
entre mim e a vida que me viu nascer!

Fernanda R-Mesquita

















Sem comentários:

Enviar um comentário