Detalhes de um passeio pelo frio...

13 de dezembro de 2010
Antes de sair, hesitei um pouco e como tantas vezes, perguntei a mim mesma se valeria a pena. Pensei:
- O que vou fazer para a rua? Está frio, tudo branco, tudo igual...
Mas a verdade é que regresso sempre contente, depois de cada passeio. Lá fora há sempre alguma coisa para  ver, com um novo olhar! Saia, mesmo quando  lhe parecer que não vale a pena!
Pois bem,  estas plantas, que já foram verdinhas e floridas servem agora para nos alertar onde acaba a terra e começa o lago, porque como mais branco do que isto não há, é dificil por vezes saber,  o que está por baixo da neve.

 Mas e como nada para, até o sol brilha de vez em quando, dando um brilho maior à neve que por si só, de tão resplandecente, nos magoa os olhos, o que  nos obriga a maior parte  das vezes a usar oculos escuros.

 Os cães não deixam de fazer os seus passeios diários. E como gostam de brincar na neve!
 Este é um dos lagos que ainda hà bem pouco tempo,  vivia repleto de aves.
Ah! Olhem as famosas pegas, que nem mesmo o frio as cala nem as impede de usufruir do bosque, agora também geladinho! 


Também pelo bosque se pode encontrar várias destas casinhas, para as aves. Reparem na boa conservação, até da pintura!  Detalhe que é explicado pelo empenho e zelo que existe,  quer dos estado quer das pessoas. 


Aqui o dono da casa limpando o passeio. Uma imagem constante.
Quem não o fizer será multado. Isso é obrigatório o ano inteiro, nas diferentes estações do ano, quer pela Primavera na conservação da relva em frente às casas, quer no Outono, na limpeza das folhas secas ou no tempo de neve, para que os passeios sejam seguros para quem passa. Nas zonas comerciais e outras zonas não urbanizadas, são empresas contratadas pelo estado que fazem a manutenção dos passeios. As estradas para que possam ser seguras para os carros, existem constantes camiões deitando sal e areia. O sal é muito bom para fazer derreter a neve e tornar o piso menos escorregadio. E com a colaboração de todos, tudo funciona, mesmo com temperaturas muito baixas.

Sorria, mesmo que o dia lhe pareça igual. Há sempre algo diferente para olhar.

Fernanda R-Mesquita






Comentários