quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

O solitário

Pode ler em o O Madeirense


Ri-se o solitário com loucas fantasias
e olha todo o cortejo como uma miragem,
ri-se  da multidão e das suas insensatas alegrias,
onde o mundo culto é cada vez mais selvagem.

Tantas grandezas e tantas irreais ilusões
a que o mundo se tem abandonado,
rebaixam a alma do pobre, sem razões,
pois é apenas o semelhante que têm desprezado.

O mundo não ama nada, ama apenas a loucura
de venerar a própria carne, esquecendo que a morte
quando vem, vem para qualquer criatura,
seja pobre solitário ou rico com muita sorte.

Fernanda R-Mesquita



Sem comentários:

Enviar um comentário